Ferramenta no-code: o futuro chegou!

Uma ferramenta no-code, que traduzindo para o português significa ferramenta “sem código”, é uma ferramenta que permite que você desenvolva aplicações web e mobile sem precisar saber programar.

Um sonho antigo

A ferramenta no-code está relacionada a um sonho antigo, de muitas pessoas que não são propriamente da área de TI. O sonho diz respeito à possibilidade de desenvolver suas próprias aplicações sem precisar ter conhecimentos específicos de linguagens de programação.

Além disso, vale lembrar que a área de TI das empresas costuma estar sempre sobrecarregada. Isso porque normalmente ela está atuando em situações críticas, que muitas vezes podem pôr uma operação inteira fora do ar. A consequência disso é que nem sempre é possível contar com eles para auxiliar em outras demandas, como construção de um site ou um aplicativo. Por isso, o sonho de poder construir aplicações sem conhecimentos de programação, para dar mais autonomia ao público que não vem dessa linha de formação.

Quando começou o movimento no-code?

Pode parecer que todo esse movimento é algo bastante novo, não é mesmo? Mas engana-se quem acredita nisso. Os primeiros registros dessa revolução de ferramentas com baixo nível de codificação foi no final dos anos 90, início dos anos 2000. Embora já existissem há algumas décadas, as ferramentas ainda não eram tão simples ou intuitivas e apresentavam algumas limitações.

Contudo, foi no ano de 2018 que aconteceu o verdadeiro “bum” dessas ferramentas. Isso porque, foi nesse ano, que uma publicação muito importante no meio trouxe a tona que uma série de startups estavam investindo nesse tipo de tecnologia, o que aceleraria (e muito) o desenvolvimento de soluções. Além disso, essa nova geração de ferramentas estão ficando mais amigáveis, intuitivas e, consequentemente, mais poderosas.

A diferença entre low-code e no-code

Pois bem, muita gente costuma se perguntar qual a diferença entre uma ferramenta no-code e uma ferramenta low-code. Na verdade, a própria tradução do termo já indica a diferença. Enquanto uma ferramenta low-code pode ser descrita como uma ferramenta que implica pouco conhecimento de programação, favorecendo o desenvolvimento de aplicações em horas, ao invés de semanas, a ferramenta no-code é o avanço dela, permitindo que uma pessoa que não conheça nada de linguagens de TI possa desenvolver suas aplicações.

Por fim, de acordo com o estudo feito pelo Gartner em 2019, as ferramentas do tipo low-code representarão 65% dos aplicativos em 2024.

E o que faz uma ferramenta no-code?

Como já mencionado anteriormente, as ferramentas sem código fornecem uma maneira de construir aplicativos da web e móveis sem escrever uma linha sequer de código de programação.

Resumidamente, se você deseja construir um aplicativo (móvel, web, etc), ou um site por exemplo, mas não sabe como codificar, então você usa uma plataforma para construí-lo e implantá-lo. Sendo assim, ao invés de construir seu layout com linhas e mais linhas de códigos, você simplesmente arrasta e solta os componentes ou partes de um aplicativo desejado no local que você definir mais apropriado.

As plataformas já são uma realidade

Se por um lado, ferramenta no-code era um sonho de muitos, por outro era uma promessa muito antiga de muitos fornecedores de tecnologia. Embora pareçam coisa de outro mundo, ou um futuro muito distante, as ferramentas, também chamadas de plataformas no-code já são uma realidade. Eu posso até chutar que você talvez já as utilize e nem saiba, pois acredite, elas estão espalhadas por muitos todos os lados.

Eu trouxe algumas aqui para você conhecer:

Wix

Wix permite que você crie websites personalizados ou com base em um dos mais de 500 templates já disponíveis. A diferença é que você pode já ter construído dezenas de sites, ou não. Ele permite que você tenha recursos avançados, como uma loja virtual, integração com meios de pagamentos e a edição da visualização no formato mobile.

Webflow

Da mesma forma que a ferramenta anterior, o Webflow também permite que você construa seu website, seja ele externo ou interno como uma intranet, sem conhecimento algum de programação. Além disso, ele já faz toda a sua hospedagem, podendo você criar seu website e já colocá-lo no ar. Além disso, também permite uma série de integrações.

Airtable

O Airtable permite que você, ou sua equipe, construa aplicativos para as soluções do seu negócio. A partir de um dos seus milhares templates prontos, distribuídos por diferentes áreas, como criar um aplicativo de controle de gastos, um CRM, controle e planejamento de projetos, até produção de vídeos e mídias.

Glide

O Glide é uma ferramenta fantástica. Eu, particularmente, fiquei positivamente impressionada com a facilidade que ele traz em criar seus aplicativos. A ferramenta, além de trazer uma série de templates prontos, permite, também, que você crie aplicativos com base em uma planilha de Excel, salva no Google Sheets. Você cria sua planilha – que será seu banco de dados – e carrega ela na ferramenta. Em alguns minutos, a ferramenta cria seu app com base nos dados que ela identificou. Depois de criado, você pode alterar layout, cores, incluir mais itens e assim por diante. Legal, não?

Zeev

Sim, eu não podia deixar de falar dessa super ferramenta, desenvolvida pela própria SML Brasil. Nós já atuamos no mercado de gestão de processos há mais de 25 anos. Isso nos permitiu identificar alguns padrões, além de perceber que muitas vezes as soluções de BPM eram complexas para quem não era do segmento. Nem todo mundo sabe mapear e modelar processos. Nem todos conhecem os elementos da notação BPMN. Mas todo mundo que ter mais produtividade e atingir melhores resultados.

Foi com base nessa visão que criamos o Zeev: uma ferramenta que possibilita você ter um jeito novo de ser mais produtivo. Com o Zeev, você e sua organização podem automatizar processos sem precisar desenhar o fluxograma. Nos já temos mais de 400 fluxos de trabalho prontos para você sair usando. Além disso, você pode criar centenas de outros processos, tudo via interface do sistema.

Vou deixar aqui um vídeo que resume bem o que é o Zeev:

Gostou do que viu no vídeo? E que tal ver ao vivo e à cores? Sim, vou deixar aqui para você um convite super especial: que tal conhecer o Zeev na prática? Para isso, basta clicar no botão abaixo:

Mas, nem tudo são flores…

Sim, as ferramentas low e no-code já são uma realidade. De fato, elas tornam o processo de criação de aplicações mais acessíveis e democráticos. Com elas, não é preciso mais esperar que a área de TI desenvolva a codificação apropriada, ainda mais em uma época em que o mercado está acirrado.

Entretanto, isso não significa que você irá começar a trabalhar em uma ferramenta hoje e sair usando a sua aplicação no final da tarde. Isso até é possível, desde que você já tenha estudado, entendido como funciona a ferramenta em que você está trabalhando. Eu posso fazer um bolo, mas, para isso, eu preciso saber utilizar os utensílios de cozinha e o forno. O mesmo paralelo pode ser feito com as ferramentas no-code. A diferença é que você não vai precisar estudar 5 anos todos os tipos de linguagem de programação para daí começar a desenvolver. Você só precisará estudar a ferramenta escolhida e os recursos dela. Sendo assim, sua curva de aprendizagem é bem menor, não é mesmo?

Por fim, um último convite!

Se você gostou dos assunto, ou teve um mínimo de interesse, saiba que eu não vou terminar esse texto com um simples “até mais, pessoal”. Aí vai a boa notícia: fizemos  um webinar todinho focado no tema! 🙂 Veja só o que foi abordado nesse super evento online e gratuito:

  • O que é “no-code” e qual o tamanho desse movimento;
  • O que eu posso construir com ferramentas no-code;
  • Tipos de ferramentas no-code;
  • Exemplos de ferramentas no-code.

Sim, teve demonstração prática de ferramentas que podem ser utilizadas sem a necessidade de codificação!

Aaaah, quem comandou essa verdadeira aula sobre o assunto foi o mestre, Rafael Bortolini, Diretor de P&D e Inovação aqui na SML Brasil! Rafael é líder em equipes que desenvolvem integrações entre ferramentas de colaboração e Internet de Coisas (IoT), inteligência artificial (AI), blockchain e sistemas de análise de dados. Além disso, é Mestre em Engenharia de Produção, sendo professor em cursos de Ensino Superior! UAU!!

Não fique de fora, para assistir é só clicar no botão abaixo:

 

Fique à vontade para compartilhar com seus amigos e colegas! Conhecimento disseminado sempre traz resultado positivo.

Até mais, pessoal!

Letícia Bragagnolo

View posts by Letícia Bragagnolo
Meu nome é Letícia Mattiuz Bragagnolo. Sou Engenheira Química, formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande Sul - PUCRS, com Especialização em Gestão Estratégica de Negócios pela mesma instituição Atualmente, faço Mestrado em Administração e Negócios também na PUCRS, além de exercer meu papel de Especialista em Projetos Estratégicos aqui na SML Brasil. Já atuei em muitas áreas de um negócio, sempre buscando otimizar e melhorar processos. Adoro aprender, ler e buscar desenvolvimento constantemente. E o que me move é a paixão por processos e pessoas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.