Modelagem de Processos – Como usar gateways de maneira correta [Com exemplos]

Você sabia que existem 7 tipos diferentes de gateways? Alguns naturalmente são mais utilizados, outros raramente vejo em alguma modelagem, porém a notação de BPMN possibilita trabalhar com sete tipos diferentes de gateways, de acordo com a necessidade que existe ao modelar algum processo. Neste post você saberá como usar gateways de maneira correta, como também:

  1. O que são gateways?
  2. Um breve resumo sobre a notação BPMN
  3. Quais são os gateways muito utilizados?
  4. Quais são os gateways pouco utilizados?
  5. Quais são os gateways raramente utilizados?
  6. Um e-book com exemplos de modelagem e utilização de Gateways! 
BAIXE AGORA O EBOOK SOBRE MODELAGEM DE PROCESSOS

O que são gateways?

Para introduzir o assunto, quero dizer que gateways são aqueles ícones, em forma de losango, utilizados para fazer desenho de modelagem de processo. Eles são parecidos com os losangos de fluxograma, mas não são ícones de fluxograma, são diferentes, são ícones da notação de BPMN.

7 tipos de gateways

Resumidamente, podemos dizer que são pontos de decisão. Quando você encontra um Gateway, uma decisão será tomada.

Se a sua dúvida estiver relacionada com a notação de fluxograma (os ícones), ou ao desenho de fluxograma, acesse esse post aqui.

Um breve resumo sobre a notação BPMN

BPMN (Business Process Management Notation) é a notação mais utilizada para modelagem de processos, apesar de não ser a única. Ela faz parte de iniciativas da OMG. O Grupo OMG (Object Management Group) é um grupo que define padrões de boas práticas relacionadas com o BPM.

Um fluxograma é um tipo de notação. Um EPC (Event-driven Process Chain) é outro tipo de notação. Value Stream Mapping também é uma notação. E BPMN (Business Process Model and Notation), é mais um tipo de notação. Em resumo, podemos dizer que são diferentes formas/ícones para representar as ações que acontecem em um processo.

Como usar gateways de maneira correta?

Bem, não existe uma fórmula mágica e única para o seu uso. Há casos em que diferentes gateways podem resolver o problema. O importante é analisar cada um e saber qual é o mais recomendado de acordo com cada situação.

A utilização de Gateways (como, quando e qual utilizar) gera muitas dúvidas e, eventualmente, erros na modelagem dos processos. Foi por este motivo que nós criamos um e-book descrevendo cada gateway e colocando exemplos práticos, para facilitar o entendimento.

Quais são os gateways mais utilizados?

Dos sete gateways, dois são mais utilizados: o exclusivo e o paralelo. Abaixo falarei um pouco sobre cada um deles, veja só:

Gateway exclusivo

O gateway exclusivo é aquele que aparece com maior frequência na modelagem de processos. Ele é utilizado quando, em um momento de decisão, um único caminho deve ser seguido. Ou seja, existe uma condição exclusiva. Por exemplo: O embarque será nacional ou internacional? (uma única opção deve ser escolhida).

gateway-exclusivo

 

 

 

O Gateway exclusivo pode ser representado por um losango vazio ou por um losango com um “x” no meio.

exemplo-1

BAIXE AGORA O EBOOK SOBRE MODELAGEM DE PROCESSOS

 

Perceba que neste caso o gateway exclusivo exige que uma decisão seja tomada: O aluno está aprovado ou reprovado? Somente uma linha do fluxo será seguida.

DICA: Não utilize perguntas em gateways, utilize uma afirmação, assim como no exemplo.

Gateway paralelo

gateway-paralelo

O gateway paralelo também é utilizado com bastante frequência. Ele é representado por um losango com um símbolo de “+” no meio. Quando você deseja que tarefas sejam executadas ao mesmo tempo, paralelamente, você utiliza este ícone.

Isso significa que ao invés das tarefas serem executadas na sequência, uma esperando o término da outra, elas possam ser executadas juntas. Exemplo: “comprar um novo computador” e “Criar número de patrimônio para a nova máquina”.

Essas tarefas podem ser executadas na sequência (uma DEPOIS da outra)? Sim! Mas talvez possam ser executadas JUNTAS, em paralelo, e diminuir o tempo total de execução do processo.

O uso de gateway paralelo diminui o tempo de execução do processo, pois a sua utilização evidencia que, ao invés de aguardar alguma finalização, a atividade pode acontecer junto a alguma outra.

BAIXE AGORA O EBOOK SOBRE MODELAGEM DE PROCESSOS

 

exemplo-2

Neste simples exemplo, todas as atividades de preparação para uma viagem serão executadas paralelamente. O segundo gateway é necessário, pois ele evidencia a convergência das tarefas. Isto é, somente após a execução de todas elas o fluxo continuará.

______

Guia completo com exemplos de modelagem de processos

Bem, eu te apresentei os gateways mais utilizados (exclusivo e paralelo). Porém eles não são os únicos. Lembra que eu comentei lá no início do texto que existiam sete tipos diferentes? Para que eu pudesse te apresentar de forma detalhada, com exemplos e comparação entre os gateways, e para que o post não ficasse extenso, eu compilei todos os tipos de gateways em um e-book.

O nome do e-book é:

GUIA PARA MODELAGEM DE PROCESSOS – NOTAÇÃO BPMN – GATEWAYS

E os principais pontos abordados são:

  • O QUE É NOTAÇÃO BPMN?
  • O QUE SÃO GATEWAYS?
  • QUAIS SÃO OS TIPOS DE GATEWAYS?
  • Gateway exclusivo
  • Gateway paralelo
  • Gateway inclusivo
  • Gateway complexo
  • Gateway de início baseado em evento exclusivo
  • Gateway de início baseado em evento paralelo
  • Gateway intermediário exclusivo baseado em evento
  • COMPARANDO OS GATEWAYS
  • MATERIAIS RELACIONADOS

Se você tiver interesse, faça o download do e-book aqui.

BAIXE AGORA O EBOOK SOBRE MODELAGEM DE PROCESSOS

 

Fique à vontade para deixar um comentário ou alguma pergunta. Compartilhe nas suas redes sociais também, sempre terá algum profissional interessado no conteúdo. Eu, Bruna, sou fã da disseminação de conhecimento e quero ajudar cada vez mais a transformação de processos! Afinal, transformar processos está no DNA da SML Brasil!

Teste o Orquestra BPMS, software de colaboração de processos mais premiado do Brasil

O Orquestra BPMS ajuda você e sua empresa e organizar melhor o trabalho, reduzir desperdícios e padronizar como as coisas são feitas

Testar BPMS